De olho em preencher a lacuna deixada pela ausência GP do Japão na temporada 2020, a F1 considera realizar corridas no continente asiático que estavam marcadas para o início do ano, mas que foram adiadas. Assim, segundo o site “RaceFans”, tanto existe a possibilidade de o GP do Vietnã estrear neste ano, quanto a de se disputar duas corridas na China.

O cancelamento da corrida em Suzuka foi anunciado na sexta-feira, juntamente com Singapura e Azerbaijão. Com isso, a terra do Sol nascente ficará fora do calendário pela primeira vez desde 1986, em função de restrições impostas no país pela pandemia de coronavírus. A temporada segue marcada para começar dia 5 de julho na Áustria.

Prevista inicialmente para 7 de junho, a etapa do Azerbaijão havia sido adiada em um primeiro momento. Já os GPs de Singapura e Japão estavam agendados, respectivamente, para 20 de setembro e 11 de outubro na primeira versão do calendário.

No comunicado, a Fórmula 1 explicou que o motivo do cancelamento das corridas do Azerbaijão e de Singapura foi que ambos os países precisariam de um prazo maior para construir seus respectivos circuitos de rua. Já o Japão foi retirado do calendário por conta das suas medidas restritivas de viagens até o presente momento.

Lewis Hamilton GP Azerbaijão Baku — Foto: Reuters

Portugal “em forte negociação” com F1 para sediar GP

O cancelamento de Azerbaijão, Singapura e Japão fez a F1 correr para achar mais corridas viáveis ao redor da Europa. E um circuito com capacidade para receber a categoria e que já havia sido ventilado, ganha agora mais força para sediar um GP. É o autódromo de Portimão, em Algarve. Segundo um porta-voz, a direção do autódromo e a F1 estão em fortes negociações no momento.

– Estamos em contato com a F1 em um período de fortes negociações. Ainda não há nada confirmado, mas sabemos que existe muita vontade dos times para que Portugal seja escolhido. E estamos trabalhando duro para fazer o que podemos para ter a F1 na nossa pista. Somos a opção que todos querem. Pela localização, pela pista, pela estrutura que permite distância segura (entre as pessoas presentes), pelo clima, setor hoteleiro e pelo fato de o país ter sido pouco afetado pelo Covid-19 – afirma o porta-voz à “Autosport”.

Sebastien Buemi testa STR no Circuito do Algarve, em Portimão, em 2009 — Foto: Ker Robertson/Getty Images

A F1 também informou que está confiante em realizar entre 15 e 18 corridas, quando a temporada terminar em Abu Dhabi, em meados de dezembro. Até o momento, a categoria divulgou apenas a primeira parte do seu calendário com oito etapas, sendo a oitava delas o GP de Monza, na Itália, no dia 6 de setembro.

Fonte: G1
Foto: Divulgação