Elas nunca tinham ficado tanto tempo longe desde que formaram uma das principais duplas de vôlei de praia do mundo. Desde janeiro de 2017 juntas, a medalhista olímpica de prata Ágatha Rippel e a campeã olímpica da juventude Duda Lisboa passaram a quarentena distantes mais de 2.500 km. Ágatha no Paraná e Duda em Sergipe. Mas, nesta terça-feira, elas voltaram a trabalhar juntas. Campeãs do circuito mundial de 2018, elas já estão classificadas para os Jogos Olímpicos de Tóquio, assim como a outra dupla brasileira, Ana Patrícia e Rebeca. E ambas parcerias são candidatas às medalhas.

– Muito bom voltar hoje, depois de quatro meses. Estou muito feliz de estar voltando, ainda se adaptando ao novo mundo. Mas a gente vai voltar aos poucos, se adaptando, treinando e fazendo nosso melhor. Estamos muito felizes de estar todo mundo junto – disse Duda, que ainda na segunda-feira treinou em casa, em São Cristovão, cidadezinha histórica próxima à Aracaju.

– Foi muito bom ter encontrado boa parte da equipe hoje no treinamento. Eu estava morrendo de saudade de todo mundo e da rotina. E nesse momento mesmo sem ter um objetivo a frente, certo, pois não temos nenhum campeonato marcado ainda, a gente tem um propósito muito grande, que são os Jogos Olímpicos do ano que vem. Então poder estar junto depois de tanto tempo longe para mim e motivo de muita alegria. Eu, a Duda e a equipe, a gente está a quase quatro meses sem se ver. E apesar de todo tempo longe, hoje foi para matar saudade e não senti que teve um distanciamento. Nesse tempo eu e a Duda fizemos lives de treinamento e outras lives, nos falamos, e hoje foi o rencontro ao vivo. Mas mesmo com a distância nós e a equipe estivemos próximas, com encontros semanais. Foi uma delícia reencontrar todo mundo e voltar à rotina que a gente gosta tanto – explicou Ágatha.

Dupla de vôlei de praia, Ágatha e Duda se reencontram no Rio e com a equipe após passarem separadas a quarentena — Foto: Divulgação

Nestes 4 meses sem treinarem juntas na mesma quadra, elas ainda conseguiram manter a forma física e técnica graças às famílias. No Paraná, Ágatha contava com o marido, Renan Rippel, que é preparador físico. Enquanto em Sergipe, Duda tem a mãe, Cida Lisboa, técnica que esteve com a dupla inclusive nos primeiros meses de parceria.

No Rio de Janeiro, desde a última quinta-feira, o prefeito Marcelo Crivella já havia liberado Nas praias, onde antes era permitido apenas fazer atividades físicas no calçadão e esportes aquáticos individuais, agora também estão autorizados treinos funcionais individuais na areia. Continua proibido socializar na areia ou utilizar cadeiras e barracas. Nos parques e praças, já estavam permitidas atividades físicas. O município também liberou o funcionamento das academias, limitadas a um terço da capacidade. A dupla Ágatha/Duda tem um centro de treinamento e equipe multidisciplinar própria na Barra da Tijuca.

Fonte: G1
Foto: William Lucas/Inovafoto/CBV