Dia 18 de dezembro de 2021. O dia em que Ronaldo Fenômeno e Cruzeiro se interligaram novamente, 27 anos depois de o atacante ser vendido para o PSV da Holanda. O retorno, que completa seis meses neste sábado, foi o início de um projeto de reestruturação do clube, com o craque sendo proprietário da SAF.

O desafio é grande. Pegou um clube afogado em dívidas e, desportivamente, vivendo seu pior momento em 101 de história. Três anos na Série B e sem o mínimo otimismo de que esse tempo não seria ainda maior.

O início foi complicado. A esperança era de injeção de “rios” de dinheiro. O que não aconteceu. O discurso era de contenção absoluta de gastos, revisão de todas as contas do clube e orçamento enxuto para 2022.

Fábio, um dos maiores ídolos da história do Cruzeiro e que estava próximo de completar mil jogos, foi um atleta que saiu por essa contenção de gastos. Fato que gerou revolta em parte da torcida. Houve protesto contra Ronaldo, na Toca, e o início de 2022 era mais um de muito peso no ambiente.

Situação que foi cessando com o passar do tempo. Ainda sem assinar definitivamente a compra, o gestor desembolsou mais de R$ 20 milhões para o Cruzeiro encerrar o transfer ban e poder registrar reforços. Ronaldo foi ganhando a confiança da torcida, que aumentou com o decorrer dos jogos.

Fonte: Roma News
Foto: Reprodução